Feira do Livro de Rio do Sul recebe cerca de 22 mil visitantes


Em seis dias, o evento recebeu um público regional para 50 atividades artísticas Foram seis dias de evento, 50 atividades, cerca de 22 mil visitantes e de 6 mil livros e artigos literários comercializados e distribuídos na Feira do Livro de Rio do Sul. A visitação ao evento, realizado de 13 a 18 de setembro, no Parque Universitário Norberto Frahm – Unidavi foi intensa ao longo da semana com a visitação de escolas do Alto Vale. “A feira recebeu a visita de escolas de quase todas as cidades do Alto Vale do Itajaí. Isso mostra que esse conceito de feira, desenvolvido nesses quatro anos, está consolidado e a tornou o maior evento artístico e cultural da região”, destaca o superintendente da Fundação Cultural, Willian Sieverdt. E ainda participaram visitantes de Blumenau, Brusque, Joinville, Florianópolis e outras cidades catarinenses. De acordo com o escritor Carlos Henrique Schroeder, um dos participantes, a Feira do Livro de Rio do Sul é a terceira melhor de Santa Catarina. “Fiquei feliz de voltar à região para falar dos meu livros. O Alto Vale é uma terra de escritores. A feira tem um conceito interessante, de ter falas, promover ideias e buscar temas específicos que venham conversar com a realidade da região”, afirma o escritor. O evento contou ainda com a presença dos escritores Edney Silvestre, Márcio Vassallo, Demétrio Panarotto, Maicon Tenfen e Alcides Buss, além de sete autores regionais que lançaram livros e fizeram um bate-papo literário. A programação teve teatro, contação de histórias, música, mostra de cinema e oficinas, além dos 15 estandes de livreiros e editoras. Entre os lançamentos, estiveram também as obras Rio do Sul em Imagens – 2ª Edição e a revista em quadrinhos Índigenas do Alto Vale: O Povo Lãklanõ/Xokleng e a Colonização do Alto Vale. A publicação teve a coautoria de estudantes e professores da Terra Indígena, em Ibirama. Conversas literárias com Edney Silvestre a Arnaldo Antunes O jornalista e escritor Edney Silvestre participou de um bate-papo literário e destacou o poder do livro e da cultura. “Só acredito em uma transformação que seja profunda. A transformação profunda vem através do conhecimento. E o conhecimento vem através do livro e da cultura. Isso é o que mudou a minha vida e tem mudado a vida de milhões de pessoas no mundo. E as feiras ajudam porque despertam a curiosidade”, destaca.

Um dos momentos marcantes foi o bate-papo literário de Arnaldo Antunes, mediado por Mário Vassallo, e o show A Casa é Sua. O músico dividiu o Palco Embaixo da Ponte com Chico Salem (violão e guitarra) e André Lima (teclados e sanfona). “O palco ser embaixo da ponte é simbolicamente interessante. As canções são uma boa porta de entrada para a poesia dos livros. O Brasil tem uma tradição de poesia cantada muito sofisticada e isso pode ser uma forma de absorção da poesia que leve as pessoas a descobrirem que ela está também nos livros, nos cartazes, nos vídeos, na internet”, afirmou o músico e poeta. A Feira do Livro foi realizada pela Prefeitura Municipal, Fundação Cultural e Biblioteca Pública Municipal de Rio do Sul, com a correalização do Sesc e da Associação da Fundação Cultural (Asfuc). A edição 2016 teve o patrocínio do Bradesco e o apoio da Câmara de Vereadores, Unidavi e Associação de Escritores do Alto Vale do Itajaí. Tiago Amado Equipe de Comunicação Fundação Cultural de Rio do Sul (47) 3521 7702 / 8806 6114 comunicacao@fundacaocultural.art.br